terça-feira, 30 de novembro de 2010

Servidores da UFPR recebem Prêmio Funarte de Composição Clássica

Foto: Leandro Taques / Arquivo Pessoal
O maestro Márcio Steuernagel (à esquerda) e o profº Maurício Dottori (à direita) foram selecionados para o Prêmio Funarte de Composição Clássica. Os dois servidores da UFPR estão entre os seis paranaenses premiados.

O professor Maurício Dottori, do departamento de Artes, foi premiado na categoria principal, de composição para orquestra sinfônica, com a obra "A rosa trismegista, aberta ao mundo". Na categoria de música de câmara para 4 a 6 instrumentos, o maestro da Orquestra Filarmônica da UFPR Márcio Steuernagel, teve premiada sua composição "Salve Regina cum Septiens Salve".

Este ano, o Prêmio Funarte de Composição Clássica teve 384 obras inéditas inscritas. Desse total, 59 foram selecionadas para serem executadas na mais importante mostra de música erudita do país, a 19ª Bienal de Música Brasileira Contemporânea, que será realizada no Rio de Janeiro em outubro de 2011. No Paraná, também foram selecionados dois compositores da Universidade Estadual de Maringá, um da Universidade Estadual de Londrina e um compositor não vinculado ao meio acadêmico.

Professor de composição com 25 anos de experiência, Maurício Dottori está recebendo pela terceira vez um prêmio por uma composição para orquestra sinfônica. Ainda estudante, com 17 anos, Dottori teve sua primeira obra premiada. "Eu gosto de escrever para orquestra sinfônica. É um trabalho grande, mas o prêmio é uma ótima oportunidade de ver a música executada", conta o professor. Foram quatro meses de trabalho dedicados a compor a obra para uma orquestra de 80 músicos. "Cada dez segundos de música para orquestra sinfônica equivalem a 12 horas de trabalho", explica.

Muito feliz, Dottori diz estar em uma fase muito boa de produção, de muito prestígio. Professor da UFPR desde 2000, o professor vê na premiação um incentivo também para seus alunos de composição. "Foram muitos trabalhos inscritos e muita gente jovem premiada", completa.

Esta não é a primeira vez que o maestro Márcio Steuernagel tem uma composição reconhecida. Em 2007, com apenas 22 anos, Steuernagel recebeu seu primeiro Prêmio Funarte. Para o maestro, além de um grande incentivo, o prêmio oficializa a produção artística. "É uma forma de inserção social da produção cultural, passa de um sonho e se torna real", conta. "É uma iniciativa muito importante, pois nunca o Ministério da Cultura investiu tanto em produção de música contemporânea", completa.

A comissão de seleção foi composta por Antonio Ribeiro, pianista, compositor e professor da Escola Municipal de Música de São Paulo; Flavio Oliveira, compositor; Ilza Nogueira, compositora e editora do periódico Claves (UFPB); José Augusto Mannis, professor do Instituto de Artes da Unicamp; Paulo Costa Lima, professor da Universidade Federal da Bahia; Roberto Duarte, regente e diretor musical da Orquestra do Theatro São Pedro (SP) e Vânia Dantas Leite, compositora, pianista, regente e professora da UniRio.


Texto: Lais Murakami Fonte: Portal UFPR

Um comentário:

Luiz disse...

Merecem