segunda-feira, 13 de julho de 2009

Começou o 19º Festival de Inverno em Antonina!

Fotos: Douglas Fróis\PROEC
O Festival de Inverno da UFPR já está acontecendo e o UFPR Cultural traz para você os bastidores do maior evento de extensão da Universidade

Estamos desde sexta-feira na histórica cidade do litoral paranaense trabalhando na organização do Festival. São mais de 200 pessoas trabalhando na operação que até agora já conta com 5 espetáculos apresentados, além da tradicional Praça de Recreação Infantil onde várias crianças são entretidas em brincadeiras como perna-de-pau, pula corda, bambolê e bolinhas de sabão.

Neste ano, serão ministradas 35 oficinas e mais de 30 espetáculos acontecem na Igreja Matriz, Theatro Municipal e no Palco Principal, além de outros espetáculos que podem acontecer a qualquer momento nas ruas.

Quando chegamos o palco principal já se encontrava montado, imponente na avenida, aguardando o tão esperado "Ok, tudo pronto. Boa noite Antonina!" de hoje. Neste domingo, às 21h30 acontece a abertura oficial com Viola Quebrada.


PREPARATIVOS FINAIS


Os últimos dois dias que antecederam a abertura do festival foram bastante trabalhosos. A equipe desceu a serra do mar com um ônibus, uma van e dois caminhões lotados de equipamentos, instrumentos musicais, e os mais variados materiais para oficinas.

É uma verdadeira mudança, de repente toda a equipe da Cultura da UFPR está respirando ares diferentes, uma experiência onde se transpira muito para inspirar cultura para um público estimado de 40 mil pessoas. O fato de sairmos dos espaços da Universidade Federal do Paraná e mergulharmos em Antonina nos faz vivenciar toda a preocupação e dedicação dos bastidores do Festival: vivemos o clima de trabalho com grande intensidade, você dorme, acorda e passa o dia e a noite com sua equipe. Em uma cidade que tem normalmente 14 mil habitantes, você está a todo momento encontrando seu colega.


São pelo menos 19 sedes de atividades entre oficinas e espetáculos espalhadas por todo o centro da cidade. Quando chegamos, todos os materiais são distribuídos nesses espaços.Além disso, nesses dias, o clima também não foi nosso aliado. Houve muitos materiais que foram levados com chuva em nossas cabeças e vento batendo em nossos braços.

O pessoal responsável pelos espetáculos já estava aqui havia um tempo. Foram 3 dias de trabalho pesado, levantando o palco principal que mede quase 10 metros de altura e se extende por toda a largura da avenida, além de todo preparo em outros espaços

Mas todo o esforço, o suor, nossos músculos doloridos, e os olhos que reclamam de cansaço são apenas o preço do tesouro que o Festival da UFPR é. Em julho, Antonina torna-se mais que um lugar mágico. No inverno, Antonina é pura paixão pela arte.
* Na última foto, o Coordenador Geral do Festival, Guilherme Romanelli, toca com a banda Viola Quebrada no palco principal na abertura oficial.

Nenhum comentário: